Saltar os Menus

Notícias

7 de Novembro de 2019

“Resisitir ao IDAI”

 

© Luís Barra / Revista Visão

© Luís Barra / Revista Visão

 

A vida é mais forte do que a calamidade, e, mesmo para aqueles a quem nada sobrou, a perspectiva de futuro é sempre (…) a mais encorajadora. O balanço pode até ter que esperar pela próxima geração

para ser finalizado, mas para uma população que já antes vivia a rondar o nada, a prioridade é recomeçar, a única opção é olhar em frente. E somar a nada é sempre muito.

O ciclone Idai, que em meados de Março varreu a província de Sofala, no centro de Moçambique, nada poupou. Um rasto de destruição que em muitos casos deixou apenas gente e um chão de lama. Sobreviventes.

A quem a esperança dá força e a falta de alternativas, alento. Resistir é o que resta.

Os números oficiais indicam mais de 700 mortos, acima de 300 mil famílias despojadas de bens e de abrigo, e mais de 1,5 milhões de pessoas afectadas, em consequência direta do Idai. É claro que há também um tempo para o alívio do choro, mas o que é preciso é andar em frente. Caminhar em busca do futuro.

 

JOSÉ AUGUSTO MOREIRA

Exposição de fotografia integrada no Prémio Estação Imagem 2019 Coimbra, Festival Internacional de Foto jornalismo, que decorreu naquela cidade de 23 de abril a 21 de junho de 2019.

 

 

Inauguração em 9 de novembro (16h) – patente até 2 de fevereiro de 2020

Esta notícia foi publicada em 7 de Novembro de 2019 e foi arquivada em: Destaques, Exposições Temporárias.