Saltar os Menus

Notícias

10 de Julho de 2021

“A Herança do Lugar”

PT-CPF-ALV-032009

PT-CPF-ALV-032009

 

No âmbito do nosso calendário expositivo e para assinalar os 20 anos do funcionamento do Centro Português de Fotografia na Antiga Cadeia e Tribunal da Relação do Porto, vamos apresentar a exposição “A Herança do Lugar” que estará patente ao público entre 25 de junho e 7 de novembro de 2021, na sala Aurélio da Paz dos Reis (Piso 1).

 

Neste contexto, foram selecionadas imagens pertencentes ao espólio do CPF que retratam o edifício – quer o interior do mesmo, quer a envolvente onde se insere, destacando-se não só autores pertencentes à Coleção Nacional de Fotografia, mas também outros grandes nomes da fotografia como Alvão ou Aurélio da Paz dos Reis.

 

Vamos então assinalar os 20 anos do Centro Português de Fotografia na Antiga Cadeia e Tribunal da Relação do Porto, abrindo a exposição “A Herança do Lugar” ao público no dia 25 de junho de 2021, dia 24.º aniversário de existência do CPF.

 

“Há lugares assim, que constituem por si mesmos uma memória e impregnam os edifícios que acolhem. O Centro Português de Fotografia é a mais recente narrativa que este espaço-limite definiu, abrindo um espaço-memória de 20 anos.

Memória de permanência física e virtual, do lugar que se foi definindo como reclusão, com muitos brilhos e muitas derrotas. Encerra acervos de imagens, de presenças-ausências que trazem consigo territórios nossos e alheios, personagens, homens comuns e suas realizações. Encerra acontecimentos, situações, forma metafórica do positivo e do negativo, essa dualidade com que continuamos a significar o mundo, colecionando, associando, replicando ideias, imagens e palavras.

A fotografia, sabemos, não representa o mundo que nos escapa em cada fenómeno, em cada metáfora da ciência, da arte e do olhar. Mas é, no limite, a melhor aproximação.

E esse espaço-limite da memória concretizada em imagens, de intercâmbios frequentes pelo inevitável das fontes e das possíveis certezas, mas também da identidade de todos nós, fantasmas da nossa cultura, cruza-se nas escadas do edifício, de pedra sólida, nas salas que tiveram outro nome e outra função, com os fantasmas que o habitaram em diversos momentos da memória do lugar.

E essa é uma herança que lhe cabe e que também representa.”

 

 

 

Inauguração em 25 de junho – patente até 7 de novembro

Esta notícia foi publicada em 10 de Julho de 2021 e foi arquivada em: Destaques, Exposições Temporárias.

Os comentários foram desactivados para esta notícia.