Saltar os Menus

Notícias

6 de Outubro de 2021

“Nicolás Muller. O olhar comprometido.”

Nicolás Muller (Orosháza, Hungria, 1913 – Llanes, Astúrias, Espanha, 2000) faz parte de um grupo excecional de fotógrafos húngaros sobejamente conhecidos, tais como André Kertész, László Moholy Nagy, MartinMunkácsi, Francisco Aszmann, Eva Besnyö, Brassaï, Lucien Hervé, Mari Mahr e Robert Capa.

De origem judaica, Nicolás Muller viveu na sua terra natal o período que antecedeu a Segunda Guerra Mundial e, como a maioria dos judeus, teve de emigrar para salvar a vida. Nessa altura, viajou por Itália, França, Portugal, Marrocos e finalmente desembarcou em Espanha, onde se estabeleceu permanentemente.

Nicolás Muller testemunhou uma época que deixou a Europa cheia de cicatrizes e efetuou um registo notável da forma como decorria a vida dos operários do seu tempo. Viveu e sofreu os primórdios do nazismo e, em busca de uma sociedade livre,rumou a vários dos países que caíram sob a alçada da barbárie nazi: Áustria, Itália e França, ou a outros, como Portugal ou Espanha (onde se estabeleceu em Madrid em 1948), que tiveram a infelicidade de viver as suas próprias ditaduras.

A exposição atual é uma viagem através dos países em que Nicolás Muller viveu. Consiste em 126 imagens, na sua maioria inéditas, produzidas para a ocasião pelo Instituto Cervantes e pelo Ministério da Cultura de Espanha, feitas entre 1937 e 1967.

Nicolás Muller tentou apresentar uma seleção das suas melhores 100 fotografias, mas tornou-se claro que havia muitas mais imagens que mereciam ver a luz do dia.

Em 2015, quando o estúdio Muller em Madrid fechou definitivamente, a sua filha Ana Muller, também fotógrafa, encontrou uma caixa com 3.000 negativos que tinham sido esquecidos. Vendo a excecional qualidade destas imagens, muitas delas inéditas, decidiu dá-las a conhecer e, ao mesmo tempo, aproveitou a oportunidade para mostrar algum do material, também inédito, que o Arquivo Regional da Comunidade de Madrid conserva.

Na época, muitas destas fotografias foram reenquadradas e utilizadas em publicações; agora, podemos vê-las no seu formato original.

É portanto uma oportunidade de enriquecer o conhecimento que tínhamos de Nicolás Muller.

 

 

Inauguração em 23 de outubro – patente até 20 de fevereiro de 2022

Esta notícia foi publicada em 6 de Outubro de 2021 e foi arquivada em: Destaques, Exposições Temporárias.

Os comentários foram desactivados para esta notícia.