Saltar os Menus

Notícias

15 de Abril de 2021

Eva Besnyö: uma retrospectiva

Portugal. Ministério da Cultura. Centro Português de Fotografia. 1999.
Eva Besnyö : uma retrospectiva.
ISBN 972-8451-11-3.

 

Tinha conhecimento que a fotógrafa Eva Besnyö participou no movimento artístico New Photography (Nova Fotografia)?

A fotógrafa holandesa-húngara Eva Besnyö (1910-2003), de origem judaica nasceu em Budapeste, na Hungria. Em 1928, iniciou um curso de dois anos no estúdio do fotógrafo Jozsef Pecsi (1889-1956) em Budapeste onde iniciou a sua aprendizagem em fotografia publicitária e de retrato.  Em 1930, a fotógrafa decidiu mudar-se para Berlim, deixando para trás uma Hungria retrógrada e repressiva. Desde muito cedo, que Eva Besnyö descobriu o potencial da fotografia como meio de alcançar a liberdade e a independência, tendo iniciado com 20 anos a carreira de fotógrafa freelancer na vertente da fotografia documental. Em 1932, com a ascensão do nazismo, Eva Besnyö deixou a Alemanha e mudou-se para a Holanda e começou a trabalhar em encomendas de fotografia de arquitetura, de retrato e de moda. Entrou para a Sociedade Holandesa de Fotógrafos onde demonstrou um intenso compromisso com a política cultural e foi convidada a participar em muitas exposições de fotografia.

A fotógrafa Eva Besnyö consciente da estética da fotografia moderna e do movimento artístico New Photography (1920-1933), explorou os diferentes campos da fotografia afastando-se da estética expressionista e procurou através dos registos fotográficos interpretar de forma fria e objetiva a realidade social da época através do uso de enquadramentos inesperados e de fortes efeitos de luz e sombra e numa perspetiva de afastamento emocional da fotógrafa em relação ao objeto que é fotografado.

 

 

Did you know that photographer Eva Besnyö participated in the Nieuwe Fotografie (New Photography) movement?

The Dutch-Hungarian photographer Eva Besnyö (1910-2003), of Jewish origin, was born in Budapest, Hungary. In 1928, she started a two-year course at the studio of photographer Jozsef Pecsi (1889-1956), in Budapest, where she began her apprenticeship in advertising and portrait photography.

In 1930, the photographer decided to move to Berlin, leaving behind a backward and repressive Hungary. From an early age, Eva Besnyö discovered photography’s potential as a means of achieving freedom and independence, and began her career as a freelance documentary photographer at the age of 20.

In 1932, with the rise of Nazism, Eva Besnyö left Germany, moved to the Netherlands and began working on commissions for architectural, portrait and fashion photography. She joined the Dutch Society of Photographers where she demonstrated an intense commitment to cultural politics and was invited to participate in many photography exhibitions.

Eva Besnyö, aware of the aesthetics of modern photography and of the New Photography movement (1920-1933), explored the different areas of photography, moving away from the expressionist aesthetics, and sought, through her photographic records, to interpret, in a cold and objective way, the social reality of her time by using unexpected framings and strong light and shadow effects, choosing a perspective of emotional detachment in relation to the object that was being photographed.

Esta notícia foi publicada em 15 de Abril de 2021 e foi arquivada em: Documento do mês, Fundo Bibliográfico.