Saltar os Menus

Notícias

9 de Julho de 2021

Documento Mês_Fundo Bibliográfico_julho/2021

Carlos, Isabel e Barbara Vanderlinden. 1998; Helena Almeida. Lisboa: Instituto de Arte Contemporânea; Milão: Electa.

Carlos, Isabel e Barbara Vanderlinden. 1998
Helena Almeida. Lisboa: Instituto de Arte Contemporânea; Milão: Electa.

 

Tinha conhecimento que Helena Almeida foi uma conceituada artista plástica portuguesa do século XX?

Helena Almeida (1934-2018) nasceu em Lisboa e era filha do escultor Leopoldo de Almeida (autor do Padrão dos Descobrimentos, em Lisboa). Em 1955, a artista terminou a formação em Pintura na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa e em 1959 foi bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian em Paris, onde iniciou o seu percurso na arte abstrata. A artista multidisciplinar explorou diferentes suportes como a pintura, o desenho, a instalação e o vídeo mas foi através da fotografia a preto e branco que Helena Almeida utilizou o seu próprio corpo enquanto objeto da pintura procurando encontrar formas distintas de representar a sua identidade. As fotografias de Helena Almeida foram quase sempre registadas pelo marido, o arquiteto e escultor Artur Rosa (1926-2020).

Em 1967, realizou a sua primeira exposição individual de pintura na galeria Buchholz, em Lisboa e em 1961 participou na II Exposição de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. Reconhecida pelo seu percurso singular, a artista continuou a afirmar-se no contexto artístico nacional e internacional onde as suas obras foram exibidas em museus e galerias nacionais e internacionais. Em 1979, representou Portugal na Bienal de São Paulo, em 1982 e 2005 na Bienal de Veneza e em 2004 participou na Bienal de Sidney. A artista Helena Almeida encontra-se representada em duas obras na Coleção Nacional de Fotografia do Centro Português de Fotografia.

 

 

Did you know that Helena Almeida was a renowned Portuguese visual artist of the 20th century?

Helena Almeida (1934-2018), born in Lisbon, was the daughter of the sculptor Leopoldo de Almeida (creator of the Monument to the Discoveries, in Lisbon). In 1955, she finished her studies in painting at the School of Fine Arts of Lisbon and later, in 1959, she received a scholarship from the Calouste Gulbenkian Foundation in Paris, where she began to create abstract art. A multidisciplinary artist, she explored a variety of mediums, including painting, drawing, installations and video, but it was through black-and-white photography that Helena Almeida used her own body as a canvas, seeking different ways to express her identity. Helena Almeida’s pictures were almost always taken by her husband, the architect and sculptor Artur Rosa (1926-2020).

In 1967, her first solo exhibition of painting was held at the Buchholz Gallery in Lisbon, and in 1961 she was represented at the Second Exhibition of Fine Arts organised by the Calouste Gulbenkian Foundation in Lisbon. Recognized for her unique approach, the artist continued to assert herself in national and international artistic circles, where her works were exhibited in galleries and museums. In 1979, she represented Portugal at the São Paulo Biennale, the Venice Biennales of 1982 and 2005, and the Sydney Biennale of 2004. Two of the artist’s works are represented at the National Photography Collection of the Portuguese Photography Center.

 

 

Esta notícia foi publicada em 9 de Julho de 2021 e foi arquivada em: Documento do mês, Fundo Bibliográfico.

Os comentários foram desactivados para esta notícia.